Entre em Contato

Blog e artigos sobre design, desenvolvimento e tecnologia

Qualidade Suficiente

Editorial

Qualidade Suficiente trata-se, basicamente, de que o artefato que você desenvolve deve valer o total pelo qual foi pago. Entender esse termo é a chave para bons negócios.

Meu pai sempre me contava sobre qualidade suficiente, mas nunca entendi ao certo o que era isso até o dia que eu comecei a prestar serviços. Não é um termo muito usado.

Apesar de uma definição polêmica, não quer dizer que você não deva buscar qualidade naquilo que faz, e sim, entender o padrão mínimo de qualidade para um determinado projeto a fim de torna-lo aceitável. Não é um termo para definir a qualidade máxima de um material e sim a qualidade mínima esperada em relação ao custo gasto.

O maior problema da área de criação, hoje, é compreender o valor de cada peça. Seguir tabelas como a da ADG ou da Abap, e tantas outras que existem por aí, é uma tarefa extramente difícil, principalmente para profissionais liberais, pequenas agências e estúdios. Pequenas empresas raramente aceitam pagar R$941,00(SINAPRO-PE) por um anúncio de ¼ de página. Ou de R$800,00 a R$4000,00 (ADG) para uma Tag. Às vezes, fazer valores pouco abaixo dessas tabelas é a única forma de conseguir clientes. Claro, não se devem fazer valores extremamente inferiores, mas dividir e parcelar é uma boa opção.

paquimetro digital

O pensamento de qualidade suficiente ajuda ao designer a controlar suas finanças e uso correto de tempo. Compreender o que o cliente realmente necessita é o primeiro passo para cobrar corretamente e não perder tempo com um material que não precisa ter mais do que o necessário.

O termo qualidade não é algo que se possa definir sem subjetividade. Qualidade depende do que você interpreta como necessário e funcional. Pode ser um trabalho que funcione, mas seja feio ou que não funcione bem, mas seja esteticamente agradável, ou um meio termo. Isso dependerá de quem considerar a qualidade.

Por isso, é importante marcar reuniões e compreender os fatos de cada trabalho individualmente. Cada caso é um caso. Um trabalho que deverá atingir uma quantidade pequena de pessoas não deve ser cobrado como um outro que atingirá centenas ou milhares de pessoas. É importante preparar bem o contrato para sempre deixar tudo claro. Em peças como folders ou ilustrações, por exemplo, deve-se usar termos de uso, geralmente limitando a quantidade de reproduções ou projetos de uma peça.

É bom lembrar o termo que Qualidade Suficiente é algo para definir a qualidade mínima de um projeto, e não a máxima, em relação ao tempo desejado para a elaboração e finalização. Um trabalho de 200 reais pode ser ou não uma epifania, é aceitável que não seja, e não é necessário o uso de técnicas tão avançadas. Mas um processo semelhante de 2 mil reais, já exige a obrigação de usar técnicas melhores e a necessidade de se refletir muito mais durante a elaboração do projeto.

Muito além do que seguir tabelas é entender a necessidade de seu cliente. Tabelas servem para encontrar o meio termo, mas a razão é o que vai desenvolver o seu método de trabalho. Especifique o seu tipo de qualidade e tenha em mente os valores mínimos de cada projeto e relacione isso com o tempo e dificuldade que você demoraria a desenvolver. Aprenda a dizer não sempre que necessário e coloque o seu nível de qualidade sempre em destaque quando questionado os valores. Com o tempo, você aprende a equacionar Qualidade Suficiente com o sua própria tabela virtual de preços.