contato@bitcolor.com.br/h3>

Nosso Lar – Atuação dígna de Power Rangers

Filmes

Não me importa que Nosso Lar seja um filme religioso, só que ele é muito ruim. O único filme que eu sai do cinema por vontade própria nos primeiros 20 minutos.

O filme conta a história de um cara que aprontava muito quando criança (ele puxava o chapéu do capataz…. Nossa… Que moleque levado da breca!), que, ao ficar mais velho ele não cuida muito bem da sua saúde e por isso vai parar num umbral (vale dos suicidas) quando morre de infarto.

Sinceramente, acho meio tosco considerar que simplesmente porque alguém tem o costume de fazer algo que pode matar ser considerado suicida. Se fosse assim ninguém poderia fazer nada. Tomar o “refrigerante captalista” (coca-cola) ou o sanduíche da trindade do mal (mc donalds) seria suicídio também. Atravessar rua fora da faixa, pegar mulher feia… enfim, não é porque alguém faz algo que sabe que possa faze-la morrer não significa que ela queira morrer.

Logo quando morre, o cara acorda todo cheio de lama e dores no outro lado. De repente um grupo de atores, com roupas rasgadas do século XVII, começam a andar em direção ao cara gemendo… Suicida… Suicida e apontando…. Só isso, detalhe que esse umbral fica no meio de uma floresta semi iluminada, apesar de não haver lua.

Anos passam e ele parece o mesmo, de repente um cara de branco que patrce uma mistura de padre Quevedo com George Carlin aparece num monte de luz (que parece o teletransporte do He-Man) e diz que vai levar o cara… Os atores do power ranger começam a frescura de “Ah…. A luz… Estou derretendo” e sem sair do lugar ficam se espreguiçando (era para parecer dor?) por causa da luz. Detalhe… é sempre o mesmo grupinho.

Daí o cara de branco fala umas baboseiras, faz um truque Jedi com as mãos para espantar os caras e pimba… Leva o cara para o paraíso.

Aí vemos um céu azul e montanhas verdes (acho meio louca essa definição de céu. E se eu gostar da noite? E se eu for masoquista? Cono seria o meu céu). E aí eles saem piscando com luzes cintilantes de after effects funhebento dígno de efeitos especiais tirados de filme juvenil da Eliana.

Me levantei e saí do cinema. Por sorte recebi uma ligação e um cliente foi me pagat.

É isso aí, se você acha que Power Rangers tem atuação dígna de Oscar, você vai adorar esse filme, e se gosta de efeitos especiais de sessão da tarde… mais ainda. Bom sono…. digo… bom filme!

Rodrigo Portillo

@portillodesign

Gosto tanto de design que aprendi programação e regras para garantir a estabilidade de meus projetos. Trabalho e trabalhei com desenvolvimento full-stack em diversas linguagens, como Flex, PHP, Java, Javascript, dentre outras. Ainda trabalhei alguns anos como designer gráfico e ilustrador.
Busque mais informaçoes pelo LinkedIn.